17 de novembro de 2012

LOCOMOTIVA DIESEL CP SÉRIE 1960: (Bombardier)


A Série 1960 (1961-1973), igualmente conhecida como Bombardeiras ex. MLW, em alusão à sua origem, é um tipo de locomotiva, ao serviço da empresa CP Caminhos de Ferro Portugueses em 1979.

Foram construídas pela Bombardier em 1979, tendo entrado ao serviço no mesmo ano. Após a sua introdução, passaram a ser as locomotivas mais potentes da frota dos Caminhos de Ferro Portugueses, destronando a Série 1800.

Adquiridas na Década de 1970 pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, antecessora da actual operadora Comboios de Portugal, entraram ao serviço, para rebocar composições de passageiros e mercadorias, no ano de 1979; eram, nesta altura, as mais potentes locomotivas daquela empresa. 
Esta Série é composta por 13 locomotivas de linha, do tipo MXS 627 da Bombardier, com a numeração de 1961 a 1973. Foram as mais compridas locomotivas ao serviço da CP. Podendo atingir uma velocidade máxima de 120 km/h.
Os rodados são de bitola ibérica, apresentando uma disposição Co' Co', as rodas, quando novas, têm um diâmetro de 1016 mm. O esforço de tracção, no arranque, é de 45000 kg ou 450 kN. O peso em ordem de marcha é de 121 toneladas.
Cada locomotiva dispõe de 6 motores de tracção, do tipo CGE-785 PA 1, de corrente contínua, fabricados pela General Electric. Também existe um motor a gasóleo em cada veículo, do tipo 251 E, fabricado pela American Locomotive Company.
Cada locomotiva conta, igualmente, com um alternador principal, do tipo GTA - 17 PC 1, fabricado pela General Electric. A transmissão é eléctrica.

Apesar da sua manutenção ser efectuada nas instalações do Grupo Oficinal do Barreiro, a sua área de operação cingiu-se, principalmente, às regiões Centro e Norte e Centro do país, como os serviços de mercadorias ao longo da Linha do Oeste até Lisboa, a composição internacional, com vagões da operadora Red Nacional de Ferrocarriles Espanoles, até à Pampilhosa, ou o transporte de automóveis de Setúbal para Vilar Formoso. Em termos de transporte de passageiros, assegurou, entre outras ligações, os serviços Regionais entre Vilar Formoso e Guarda.


FOTOS DE: Fernando Martins, Carlos Borralho
(e de outros autores identificados nas fotos).
http://www.railfaneurope.net/pix/pt/diesel/1960/Barreiro/pix.html
TEXTO DE: Wikipédia a enciclopédia livre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9rie_1960

6 comentários:

  1. Essas locomotivas foram inclusivamente adquiridas na possibilidade de realizarem o transporte de Minério das minas de Moncorvo para a linha da Beira Alta.
    Para além do transporte desse minério com aproveitamente do rio Douro, estave projectada uma nova linha que ligava a linha do Douro à linha da Beira Alta em Vila Franca das Naves.

    Nesse transporte iriam funcionar em múltipla dadas as rampas a vencer.

    Que fique para a história de que essas locomotivas no "banco de potência" não registavam qualquer variação mesmo que um dos cilindros fosse colocado "fora de serviço".

    No Iraque houve esse tipo de locomotivas.

    Estive várias vezes em Montréal onde circulam locomotivas com motores idênticos. Para quem gosta de caminhos de ferro é vê-las em múltipla a trabalharem no regime máximo.

    Por aqui espera-as a demolição.

    ResponderEliminar